[Date Prev][Date Next] [Thread Prev][Thread Next] [Date Index] [Thread Index]

Re: Ajuda para um sistema Debian GNU/Linux pt_BR (aka Woody/pt_BR)



On Sun, Mar 03, 2002 at 04:06:17AM -0300, Luis Alberto Garcia Cipriano wrote:

[snip]

> O que seria "manter"? seria revisão ?

Também. A documentação de instalação é atualizada quase que diariamente,
portanto, se você terminou uma tradução de um sgml hoje, amanhã ele já
pode estar desatualizado devido ao original em inglês ter sido mudado
novamente.
 
> Baixei certinho usando suas instruções, mas:
> 
> luis@localhost:~/traducao$ du -sck boot-floppies/
> 18332 
> boot-floppies
> 18332 
> total
> 
> :-(
> 
> Será mesmo necessário baixar tudo? Pelo que li até agora pelo menos pra 
> quem vai trabalhar com os sgml não. Então pra simplificar e agilizar o 
> processo podemos usar o endereço a seguir ?
> 
> http://cvs.debian.org/boot-floppies/documentation/?sortby=file#dirlist

Não, não é necessário baixar tudo. Como disse na mensagem anteriro,
existem outras maneiras, mas essa é minha preferida, pois eu prefiro ter
uma cópia de toda àrvore do CVS aqui. Por exemplo, se um documento novo
é adicionado na àrvore do CVS, um cvs update me traz ele também. Sem
falr na hora de gerar os patches. Um cvs diff -u caminho/ate/o/arquivo
gera patches mais facilmente. Tive problemas no passado em não manter
minha àrvore atualizada com a àrvore do CVS e meus patches não
conseguiam ser aplicadas de maneira limpa na àrvore principal. E também
não me dou muito bem com a interface Web, mas isso é preferência
pessoal.

> É so na olhadela mesmo que podemos trabalhar ? Estive olhando os arquivos e 
> realmente não captei muito bem como facilitar o trabalho pra gente (por 
> exemplo a qual versão do documento a tradução pt corrente se refere). Se 
> for no olho mesmo e na comparação das datas dos arquivos, vamos lá mesmo 
> assim :-)

Para os documentos que ainda não usam o esquema doc-check, infelizmente,
é somente no olho mesmo. Por exmplo, o hardware.sgml, que andei
traduzindo e que deve estar relativamente atualizado (não tive tempo de
checar isso ainda) tem o seguinte na terceira linha contando de topo do
arquivo :

<!-- original version: 1.58 -->

Isso significa que a tradução foi baseada na versão 1.58 do original em
inglês. Teoricamente, executar o doc-check (doc-check -d pt ou algo do
tipo) msotraria o que mudou no origial desde a última tradução e
ajudaria na hora de colocar a tradução novamente em dia.

> Se for isso mesmo inclusive acho que podemos usar a interface web ao cvs 
> pois seria preciso só baixar os dois arquivos (o en e o pt) pra começar o 
> trabalho. Usando esta lista sempre para avisar no que cada um está 
> trabalhando e depois passando pra outro revisar.

A questão de usar a interface Web ou não fica a critério de cada um. Eu,
como já disse anteriormente, prefiro ter uma cópia integral da àrvore do
CVS aqui e ir sempre fazendo update para ficar atualizado.
Principalmente pela facilidade de geração de patches. Não tive patches
recusados, mas já levei *puxôes de orelhas* pedindo que meus patches
fossem gerados a partir da raíz de minha cópia local do CVS. Isso
facilita a aplicação do patch no CVS

Mas usar a lista para informar em qual documento cada um está
trabalhando é uma ótima idéia para evitar esforços duplicados.

> Imagino que ao terminar o trabalho vou gerar um diff, e o enviarei para 
> onde ?

Vai gerar um patch, não o diff. O diff vai ser usado para gerar o patch. Mas isso você já deve saber :-)

O coordenador dos boot-floppies (não das traduções, mas do
desenvolvimento), Adam di Carlo, me criou uma conta com acesso de
escrita ao CVS dos boot-floppies, mas ela nunca funcionou. Assim, eu
gero meus patches (usando cvs diff -u caminho/ate/o/arquivo/original >
arquivo.patch) e os envio compactados para a lista
debian-boot@lists.debian.org acompanhados de explicações de quais foram
minhas mudanças (para serem usadas no changelog) e alguém da lista
aplica os patches para mim. Sempre trabalhei assim e nunca tive
problemas.

Espero poder ter acesso a uma conta CVS com acesso de escrita aos
boot-floppies logo mais assim que o DAM aprovar a criação de minha conta
de mantenedor Debian (mas não sei se isso vai acontecer antes do
lançamento do Woody).

> Acho que se os voluntários dispostos ao serviço trocarem dicas e se 
> coordenarem por aqui e no canal irc e você ou quem estiver mais 
> familiarizado com esse trabalho matar as dúvidas, talvez nem precise de 
> mais um guia.

Sim. Minha idéia não era criar mesmo um guia. Era escrever alguma coisa
rápida para mostrar o básico, mesmo porque não tenho muito tempo para
criar algo bem trabalhado.

> Desculpem pela ignorância exposta aqui mas pela necessidade de terminar 
> rápido acho que vale a pena começar rapidamente mesmo sem entender tudo 
> direito. Espero poder escolher meu sgml logo pra começar o trabalho.

Sim. Com certeza. Precisamos de agilidade nesse momento. Mas a agilidade
precisa ser coordenada ou corremos a risco de acabarmos com diversas
pessoas trabalhando na tradução de um mesmo arquivo sgml ao mesmo tempo,
gerando trabalho duplicado.

> OFF-Topic: Pelo que li nas traduções atualizadas está sempre "a Debian", e 
> agora? eu sempre traduzi como "o Debian". Alguém tem alguma palavra final 
> sobre o assunto ? Me parece um consenso básico a que precisamos chegar 
> rapidamente.

Eu estou começando a adotar "o Debian" em tudo que traduzo. Inclusive,
como traduzo também a instalação "do" Debian para português, seria
interessante decidirmos isso ou teremos algo estranho com a instalação
citando "o Debian" e a documentação usando "a Debian". A tradução da
instalação está em dia atualmente e usei o Debian em todo local que
consegui encontrar "a Debian".

Como a instalação possui atualmente 840 mensagens, acho melhor ficarmos
com "o Debian" para não ser necessári modificar toda a tradução do
instalador novamente.

Porque prefiro "o Debian" ao invés de "a Debian" ? "a Debian" dá idéia
de "a distribuição Debian GNU/Linux", o que não acho correto, uma vez
que Debian não se trata somente de mais uma distribuição GNU/Linux. Com
o Woody+1 certamente teremos o Debian GNU/Hurd, o qual não é mais uma
distribuição GNU/Linux e sim todo os sistema Debian sendo usado em outro
kernel. O mesmo está acontecendo com o Debian GNU/{Net}BSD.


> Abraços,
> 
> Luis Alberto.

Abraços :-)

-- 
++----------------------------------------------------------------------++
||  Andre Luis Lopes                   andrelop@ig.com.br               ||
||  Debian-BR Project                  http://debian-br.cipsga.org.br   ||
||  Personal Web Site                  http://www.utah.com.br/~andrelop ||      
||  Public GPG KeyID                   9D1B82F6                         ||
||  Keyserver                          wwwkeys.eu.pgp.net               ||

Attachment: pgp9j1b17ERlV.pgp
Description: PGP signature


Reply to: