[Date Prev][Date Next] [Thread Prev][Thread Next] [Date Index] [Thread Index]

Re: Não tenho lixeira




Errata: se não for isso, é gconf-editor.
http://www.forumdebian.com.br/archive/index.php/thread-4261.html


Em Fri, 30 May 2014 21:38:43 -0300
Listeiro 037 <listeiro_037@yahoo.com.br> escreveu:

> 
> 
> Você tentou o dconf? (não sei se gnome 3 ainda o tem, no mate
> agora chama-se mateconf-editor)
> 
> 
> 
> Em Fri, 30 May 2014 21:27:42 -0300
> Márcio Vinícius Pinheiro <marcioviniciusmp@gmail.com> escreveu:
> 
> > Eu fiz duas coisas, uma foi recriar a tal pasta .Trash-1000 com
> > permissões e tal... não deu em nada.
> > 
> > Outra foi seguir as sugestões dessa página:
> > http://ubuntuforums.org/showthread.php?t=2191397 acrescentando as
> > opções "nls=utf8,umask=000,uid=1000,windows_names" à linha da
> > partição no fstab. Isso deu um resultado parcial. Não recebo mais
> > erros; quando teclo Delete, recebo um sinal sonoro de exclamação e
> > nada acontece, quando clico com o botão da direita e em "Mover para
> > lixeira", o arquivo some (e pelo que pude verificar depois, vai para
> > a pasta .Trash-1000).
> > 
> > Foi então que me dei conta de que eu simplesmente não tenho mesmo
> > lixeira em lugar nenhum da interface gráfica. O único jeito de eu
> > acessar a lixeira é explorando a pasta oculta .Trash-1000 de cada
> > partição no HD.
> > 
> > Alguém sabe como trazer minha lixeira "gráfica" de volta (e se
> > possível, fazer com que o Nautilus envie o arquivo para lixeira ao
> > teclar Delete)?
> > 
> > - - - ·
> > Atenciosamente,
> > 
> > Márcio Vinícius Pinheiro
> > http://about.me/Doideira
> > <http://pt.gravatar.com/marciovinicius>
> > 
> > 
> > Em 25 de maio de 2014 20:18, Tobias Sette <tobiasette@gmail.com>
> > escreveu:
> > 
> > > Ao deletar um arquivo, usando o Thunar, ele cria um diretorio
> > > chamado .Trash-1000:
> > >
> > > drwx------  1 tobias tobias     240 Mai 25 20:16 .Trash-1000
> > >
> > > Há uns anos atras (e com o nautilus)  resolvi esse problema
> > > criando um diretorio chamado .Trash e executando chmod 1777 nele.
> > >
> > > Att,
> > >
> > > Tobias
> > > http://gnu.eti.br
> > >
> > > -----BEGIN GEEK CODE BLOCK-----
> > > Version: 3.12
> > > GCS/CM/G/H/IT/L/SS d?(--) s++:+ a-- C+++>++++ UL++>++++ P+
> > > L+++>+++++ !E@ W+++
> > > !N o? K- w !O !M@ !V@ PS PE-- !Y@ PGP t+ 5? X? R+ !tv b+ DI>+ !D@
> > > G e- h+ r-- y?
> > > ------END GEEK CODE BLOCK------
> > >
> > >
> > >
> > > Em 22 de maio de 2014 11:46, Márcio Vinícius Pinheiro <
> > > marcioviniciusmp@gmail.com> escreveu:
> > >
> > > Olá,
> > >> eu tenho uma partição NTFS que já está configura no fstab para
> > >> montar na inicialização do sistema:
> > >>
> > >> /dev/sda4    /media/Doideira    ntfs    defaults    0    0
> > >>
> > >> Funciona normalmente exceto por um detalhe: ela não possui
> > >> lixeira. No Nautilus, para qualquer arquivo que tento apagar
> > >> (através do menu de contexto "enviar para lixeira), aparece uma
> > >> mensagem dizendo não ter sido possível enviar o arquivo para a
> > >> lixeira (se eu simplesmente apertar o Delete, ele nem dá
> > >> satisfação nenhuma). O Nautilus, pelo menos, ainda me oferece a
> > >> opção de "excluir definitivamente" quando informa que não pode
> > >> ser enviado para a lixeira, mas há outros programas que
> > >> simplesmente excluem definitivamente sem me perguntar nada e
> > >> outros que simplesmente não excluem nem enviam para a lixeira
> > >> (me refiro a programas em geral como o Visualizador de Imagens,
> > >> por exemplo).
> > >>
> > >> Enfim, há algo que eu possa fazer para que essa partição funcione
> > >> normalmente, com ambas as opções de enviar para lixeira e
> > >> excluir?
> > >>
> > >> - - - ·
> > >> Atenciosamente,
> > >>
> > >> Márcio Vinícius Pinheiro
> > >> http://about.me/Doideira
> > >> <http://pt.gravatar.com/marciovinicius>
> > >>
> > >
> > >
> 
> 


-- 
Encryption works. Properly implemented strong crypto systems are one of
the few things that you can rely on. Unfortunately, endpoint security
is so terrifically weak that NSA can frequently find ways around it. —
Edward Snowden


Reply to: